Hypocal - tratamento para todas as águas

Notícias

Cedae substitui cloro gás por Hypocal e aprova a alteração

Italo Sartori

Sistema de dosagem automatizada Hypocal® Tablete com controlador para autonomia de 800 l/s.

A GCO/D.I., na busca de uma solução eficiente no processo de cloração da água, em atendimento à Portaria 2914, para sem intervenção de obra civil necessária ao adequado confinamento do gás cloro, optou pela mudança para um sistema totalmente seguro e eficaz. Este é um ponto muito relevante devido aos riscos à saúde do trabalhador, ao meio ambiente e à população que gradativamente acaba ocupando de forma desordenada o entorno da unidade de Tratamento. Esse último é constante, pois em casos de acidentes com vazamentos, o prejuízo é incalculável para a população e para a Cia. Ressalta-se ainda que, para o licenciamento ambiental: das unidades que utilizam cloro gás, a legislação pertinente exige a instalação de sistema de confinamento de acordo com as normas de segurança, o que requer maior custo de obra.

Os estudos levaram em conta os prós e os contras de cada produto estudado. A logística para operar a desinfecção com cloro gasoso deve considerar: custo com cilindros de cloro, abastecimento dos cilindros no fabricante, segurança no transporte, manutenção e conservação dos cilindros, confinamento e sistema para coleta e lavagem de escape do gás cloro, equipamentos e acessórios para transferência, mistura e dosagem de cloro gasoso, sistema de detecção e alarme de vazamento de gás cloro, bombas para alimentação e produção de solução de cloro, kits de segurança, treinamento especializado (brigada de cloro), proteção contra corrosão, custos com segurança, saúde, meio ambiente.

O trabalho de pesquisa começou em 2006, nos poços profundos nas Regiões de São João da Barra, São Francisco do Itabapoana e nos mananciais de superfície localizados no Parque Nacional na Região Serrana. O produto escolhido para testes foi o HIPOCLORITO DE CÁLCIO EM TABLETES DE 200g.

O hipoclorito de cálcio em tabletes é um composto químico largamente utilizado para desinfecção de água para consumo humano, indústria de alimentos e bebidas, com registro na ANVISA. Sua apresentação é na forma de tabletes de 200 g com aproximadamente 60 mm de diâmetro e 40mm de espessura. A formulação exclusiva à base de hipoclorito de cálcio, contendo o mínimo de 65% de cloro ativo, permite a dissolução mais lenta e controlada, com solubilidade de 180 g/l em água. O produto é um forte oxidante, não contém soda caústica, contém baixo teor de insolúveis e é econômico no que tange a transporte, estocagem e distribuição. Além disso, o manuseio é seguro para operadores de tratamento e para o meio ambiente.

Com o passar dos tempos, a legislação em questões ambientais ficou cada dia mais restritiva, obrigando à adequação constante dos prestadores de serviço em relação ao uso de produtos químicos perigosos utilizados nos Sistemas de Tratamento de Água. Ficou então, quase que inviável a operação com cilindros de cloro de 50 kg que são transportados em viaturas próprias da CEDAE, em rodovias com tráfego intenso, o que em caso de acidentes traz prejuízos enormes.

No ano de 2012, os poços profundos na Região de São João da Barra e São Francisco do Itabapoana, passaram por um processo de automação, utilizando equipamentos de última geração: CAJUEIRO/DEGREDO, BARCELOS, GRUSSAÍ/SESC ,GRUSSAÍ/CURVA, GRUSSAÍ/ILHA, ARGAÚ, BARRA DO ITAPO-ANA, ATAFONA, PIPEIRAS/ PALACETE e BARRA DO AÇU. Esses locais operam com sistemas de dosagem equipados com temporizador: a solução do cloro é aplicada no reservatório de acordo com os horários programados, o que evita a oxidação do ferro e manganês no caso de presença na água.

No ano de 2014, após resultados positivos nas plantas e anuência da Diretoria do Interior, iniciou-se a subs-tituição do cloro gasoso por hipoclorito de cálcio na maioria das ETAs e UDs (unidades de desinfecção) do interior do Estado: ATALAIA, QUISSAMÃ, CARAPEBUS, TRAJANO DE MORAIS, STª MARIA MADALENA, MORRO AZUL ARROZAL, RIO CLARO, MARICÁ, MANI-LHA, MARAMBAIA, POSTO PENA, POÇO DO MARQUÊS. ANDRADE PINTO, TRIUNFO, JACARANDÁ, CASCATA DOS AMORES, BEIJA FLOR, BRITADOR, PARQUE DO INGÁ, BONSUCESSO, VARGEM GRANDE, PENITENTES, MONTE VERDE, OURÂNEA, PARAÍSO DO TOBIAS, SÃO JOÃO DO PARAÍSO, APERIBÉ, PORCIÚNCULA, NATIVIDADE Vale ressaltar que atualmente há equipamentos já instalados e operando nas ETA’S : TANGUÁ, ETA PALMAS – (ENGº PAULO DE FRONTIN), ETA MORRO DO GAMA, EM FASE DE INSTALAÇÃO NAS ETAS PINHEIRAL, PARAÍBA DO SUL E MIGUEL PEREIRA.

O sistema translinear com controladora O residual de cloro e o pH da água do reservatório de distribuição são medidos on-line. No equipamento de dosagem da solução de cloro existem válvulas, que são acionadas para injetar a solução de hipoclorito de cálcio no reservatório. A solução só é aplicada quando o teor de cloro for inferior ao que está “set point” do equipamento, gerando com isso, precisão no resultado final e economia no consumo do produto.

Com equipamentos modernos e segurança na operação de desinfecção dos sistemas de tratamento da água, A CEDAE, no interior do Estado, está cumprindo as determinações da Portaria 2914 do Ministério da Saúde, distribuindo água dentro dos padrões de potabilidade e cuidando da saúde e segurança dos seus empregados e da população.